Make your own free website on Tripod.com
NA REALIDADE FICÇÕES - abbr500 - início

Testemunhos

O Fotógrafo pode-se dizer é o antípoda do Ator; enquanto o Ator, mesmo fora de cena, é presença; o Fotógrafo é ausência. Assim o personagem fotógrafo não pode ser encontrado pelo ator, não participa da cena; é testemunha do tempo e registra sua ausência; nenhuma luz siquer sombra.
O Fotógrafo como a fotografia toma emprestado as linguagens legitimadas da História da Arte e do Humanismo e quando fotografa Teatro a gramática é a Luz, a luz do Teatro; Cinema a linguagem é do filme, do Diretor.
Quando fotografa para uma revista é reporter fotográfico, para jornal é Fotojornalista mas os veículos, gramáticas e linguagens são emprestados da Imprensa, Ensaios de Literatura, História da Arte e o que resta para a fotografia é ser livre!
Liberta de gramáticas e linguagens mas prisioneira da ausência.
É pois a fotografia primeiro sentida, depois Ah depois?
Bem depois é depois não é mesmo?

Ps: E como já escreveu Cortázar "Hay que ser realmente idiota para se emocionar com o Trem bufando na Gare de Lyon se à noite no Teatro tem Shakespeare".
Abelardo Alves
Feito a Mão.
A Música e a Arquitetura são as mesmas, continuam sendo feitas com as mãos. A Palavra, (que como a música se tornou escrita), tudo transforma e processa, arrazoando, datando e quando cantada se transforma, cria-se de novo, veste-se de verdade e vive. A Música é, por estar sempre, o sopro e o pulso que harmoniza, humanisa e constrói com tijolos mágicos e argamassa nenhuma toda a Arquitetura e bem estar.
E como foi, é com madeira, barro e as mãos toda música que a Arquitetura dá.
Neste lugar comum queremos sempre encontrar os nossos queridos e procuramos chamar, para uma reunião. Mas verificamos que nem todos se encontram e pensamos em que atalho, viés da História mesmo veio parar o ocidental, que se espanta com nativos enquanto estes tem no círculo a esfera, a praça de congregação, o passado é, está. No sonho do Xamã a verdade aparece e se define como realidade, assim atualizam sua cosmogonía. A praça de congregação, onde ficam os que conhecem a vida da comunidade, existe para explicar e fazer com que os jovens estejam alertas para o momento, momento de interatividade e interação. Comunicação direta. Pensamento, unidade e consciência. Compromisso da inteligência diante da beleza.
Memória é Futuro.
Assuntar as estrelas, arear a terra, raízes de toda sorte, nenhum perigo. Às vezes um risco, rabisco na parede da morada dos poetas, casamata de guerreiros. Ninho... Assuntar estrelas, ver, arear a terra e com raízes de toda sorte, cantar. Cantar ao risco da palavra... Graffitti de palácios e tapumes restam... Raízes de toda parte, heróis de toda sorte, profetas de toda noite. Água, cascatas no artifício de oxigenar a vida. Assuntar estrelas, conversar com deuses, esquecer, lembrar: aos amigos sim!
clic na imagem
ÿ